• Contribuir para uma maior dinâmica cultural na cidade do Porto, na sua Área Metropolitana e no país em geral.
  • Fomentar a criação e formação de novos públicos.
  • Apoiar directamente a criação, através de co-produções.
  • Estabelecer e reforçar os intercâmbios culturais e artísticos de todo o mundo de expressão ibérica.
  • Divulgar as novas linguagens artísticas, no âmbito das artes performativas e arte contemporânea.
  • Estimular a criatividade e inovação artísticas.
  • Estabelecer colaborações com instituições de ensino artístico.
  • Promover a apresentação de novas dramaturgias.
  • Desenvolver parcerias que estimulem a prática teatral e a divulgação nas suas diferentes componentes.
  • Promover um programa de actividades paralelas ao Festival, através de exposições, seminários, debates, lançamento e promoção de livros.
  • Promover programas de actividades pedagógicas.
  • Editar livros e publicações sobre artes de palco.
O FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica é uma instituição cultural cuja ambição é promover o teatro e as artes performativas, assim como fomentar a criação artística, através da realização de um festival anual com uma visão de destaque na Península Ibérica.

Paralelamente, procura firmar públicos, acolher obras artísticas de referência, clássicas e contemporâneas, bem como descobrir projectos de carácter experimental e transdisciplinar, dando assim atenção às novas linguagens artísticas no âmbito das artes performativas.

Em Novembro de 1978, o Porto transformou-se com a realização do primeiro FITEI. As gentes da cidade e suas periferias saíram à rua, indiferentes à falta de conforto das inóspitas salas e espaços que nessa altura albergavam as iniciativas teatrais na cidade.

O FITEI, torna-se então o primeiro festival de teatro a acontecer em Portugal. Constituiu um enorme êxito e desde então realizou-se ininterruptamente na cidade do Porto.

Entretanto, a cidade alterou-se. O aparecimento do FITEI e de outras estruturas criaram a necessidade de recuperar equipamentos. Surgiram  novas salas de teatro, novas ou recuperadas, assim como novas companhias, projectos, escolas e outros festivais.

O trabalho de divulgação do teatro que se faz em diferentes continentes onde se falam as línguas ibéricas é reconhecido nacional e internacionalmente. Em 1982 recebe o prémio de "melhor organização" da Associação Portuguesa de Críticos. Em 1985 é distinguido com a Medalha de Prata de Mérito Cultural da Câmara Municipal do Porto. Em 1987 é declarado Instituição de Utilidade Pública. Em 1989 recebe o prémio especial Ollontay outorgado pelo CELCIT Centro Latinoamericano de Criação e Investigação Teatral. Em 1992 é homenageado pelo Festival Internacional de Teatro de Almada. Em 1995 recebe o prémio internacional Federico García Lorca. Em 2007 a nova imagem do festival recebe o Prémio Design Briefing para o Melhor Cartaz e o troféu de bronze no 10º Festival do Clube de Criativos de Portugal. Em 2008 recebe em Espanha o Prémio "Max Hispanoamericano de las Artes Escénicas".

A partir de 2005 o Festival procurou abrir a programação a novas tendências artísticas, bem como abranger novos públicos. Neste âmbito, foram notórias as edições de 2006 e seguintes, que atingiram um público maioritariamente jovem. Também a partir de 2006, o FITEI alargou-se a outras cidades de Portugal e da Galiza, como Aveiro, Lisboa, Guarda, Coimbra, Moncorvo, Moita, Viana do Castelo, Vila Real, Bragança, Santiago de Compostela, etc.

O Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica orgulha-se de ser o mais antigo do país e continuar a contribuir para a divulgação do teatro e das artes perfomativas, questionando sempre o seu papel e contributo para a sociedade.  

O que é o FITEI?
O FITEI é uma instituição cultural cuja ambição é promover o teatro e as artes performativas, assim como fomentar a criação artística, através da realização de um festival anual com uma visão de destaque na Península Ibérica.

Quando se realiza?
O Festival tem uma periodicidade anual e realiza-se ininterruptamente desde 1978. O Festival decorre normalmente entre as últimas semanas de Maio e a primeira de Junho.

Quais os locais onde acontece?
O FITEI realiza-se em diversos locais da cidade do Porto: Teatro Nacional de S.João, Teatro Carlos Alberto, Teatro Helena Sá e Costa, Teatro do Bolhão, Teatro do Campo Alegre, entre outros. Desde 2006, o FITEI alargou-se a outras cidades do país com a organização de extensões.

Quem organiza o Festival?
O Festival é organizado por uma cooperativa cultural sem fins lucrativos: Fitei Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica, CRL.

Quem participa no FITEI?
O objectivo principal do Festival é promover o teatro e as artes performativas, assim como fomentar a criação artística, através da realização de um festival anual com uma forte incidência no teatro que se cria em todo o mundo de expressão ibérica. Assim, participam no Festival companhias/artistas nacionais e internacionais, com o intuito de acolher obras artísticas de referência, clássicas e contemporâneas, bem como descobrir projectos de carácter experimental e transdisciplinar, dando assim atenção às novas linguagens artísticas no âmbito das artes performativas. São convidadas a participar no festival companhias de expressão ibérica: Portugal, Espanha, América Latina e Países Africanos de Expressão Portuguesa. Os estatutos do festival permitem a apresentação de espectáculos de outras latitudes, sempre que a oportunidade e a qualidade artística do projecto o justifique, o que já aconteceu por diversas vezes, com apresentação de espectáculos de França, Bulgária, Japão, República Checa, Alemanha, Inglaterra, Itália, etc.
 

Orgãos Sociais

Assembleia Geral
Presidente
 — Júlio Roldão
Vice-Presidente — João Maia
Secretário
 — Júlio Gago

Direção

Presidente
 — Jorge Ribeiro
Vice-Presidente — Jorge Pinto
Tesoureiro — Henrique Andrade
1o Secretário
 — Paulo Jorge Teixeira
2o Secretário — Pedro Sottomayor
Vogal — Pedro Estorninho
Vogal — Gonçalo Amorim

Conselho Fiscal


Presidente
 — Leandro Andrade
Vice-Presidente —
 Pedro Caminha
Secretário — Miguel Lemos Rodrigues

2006 Relatório


O FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica, instituição que há muito se debate com orçamentos reduzidos para concretizar anualmente um evento que envolve pesados encargos, viu a sua situação económico-financeira agravada no ano de 2005, em boa medida face ao atraso, por razões bem conhecidas, no pagamento da verba que lhe havia sido atribuída pelo Instituto das Artes.
Na verdade, decorrendo o Festival em Maio/Junho, esse período absorve aproximadamente 90% do seu orçamento anual. Para fazer face aos compromissos assumidos e não tendo disponibilidade financeira para tal o FITEI teve, naturalmente, de recorrer ao crédito bancário, tendo suportado elevadas verbas em juros.
Acresce que, em 2006, mesmo tendo sido possível ultrapassar o esquema de pagamento em duodécimos do apoio financeiro concedido, mais de 40% dessa verba só foi disponibilizada em Setembro e Dezembro, o que mais uma vez obrigou o festival a socorrer-se de financiamento bancário e ao pagamento de juros. Até porque se encerrou o ano de 2005 com um saldo negativo superior a 44 mil euros e, naturalmente, o défice teve de ser saldado com a primeira tranche de 2006.
Ainda por força da crise de tesouraria de 2005, as verbas referentes a IRC retidas sobre os montantes pagos às companhias estrangeiras, não puderam ser atempadamente liquidadas às Finanças. O seu pagamento tardio implicou a aplicação de coimas e o pagamento de juros.
Todo este cenário fez com que também não fosse possível contratar em tempo útil a equipa de produção, que só viria a entrar em funções já em 2006. Esse atraso traduziu-se, entre várias outras dificuldades, na impossibilidade de avançar com parcerias para diluir custos, na impossibilidade de preparação de diversas co-produções que estavam previstas, na impossibilidade de garantir a presença de alguns grupos cuja contratação tem de ser feita com grande antecedência e na extrema dificuldade em obter apoios privados.
A habitual parceria com o Teatro Nacional S. João, também mercê de constrangimentos financeiros não contemplou, neste ano, uma programação supletiva, ficando-se pela cedência dos espaços e colaboração de toda a sua equipa técnica.
O FITEI não recebeu, até à data da elaboração deste documento, qualquer apoio da Câmara Municipal do Porto, ainda que esteja prevista a atribuição de uma verba 25.000 euros, com a agravante de não ter podido contar com o habitual apoio logístico, nomeadamente a nível de transportes, o que representa um encargo suplementar significativo no volume das suas despesas.
Também por parte do Governo Civil do Porto, pela primeira vez na história do FITEI, não foi possível obter qualquer apoio.
Apesar destas acrescidas dificuldades orçamentais, o XXIX FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica realizou-se no Porto entre 26 de Maio e 9 de Junho de 2006, na cidade do Porto, com uma programação contida – apenas duas companhias de fora da Europa, quatro de Espanha e oito portuguesas – mas cumprindo, mesmo assim, os objectivos para ele traçados e apresentando rigorosamente toda a programação previamente anunciada.
Tal só foi possível com a colaboração de diversas estruturas, como a Fundação Serralves, o Teatro Nacional S. João, a Culturporto, o Rivoli Teatro Municipal e principalmente o Teatro Nacional D. Maria II e o Teatro Aveirense que programaram em extensão espectáculos do FITEI.

O Festival
O XXIX FITEI assentou a sua programação em duas áreas: Grandes autores e grandes companhias – Becket, Shakespeare, Comediants – e Companhias portuguesas surgidas nos anos noventa que contribuíram para a renovação e diversificação da oferta teatral.
Foram 16 espectáculos diferentes, num total de 23 representações, no que diz respeito à programação oficial, mais 16 actividades paralelas que incluíram a participação na edição de 1 livro, 1 exposição, exibição de 2 filmes com debate, 3 espectáculos por alunos de teatro, 1 concerto por alunos do Conservatório, 2 leituras encenadas, 2 apresentações de livros, 1 slide show com fotografias de cena, 1 feira de livros de teatro, edição de 1 peça escultórica e 1 concerto de voz e piano, para além de dois espectáculos de café-concerto em extra-programa.
Estas 41 acções realizaram-se em 16 espaços diferentes: 6 salas de espectáculos (Teatro Nacional S. João, Teatro Carlos Alberto, Rivoli Teatro Municipal Grande Auditório, Rivoli Teatro Municipal Pequeno Auditório, Teatro Helena Sá e Costa e Teatro do Bolhão) e 10 outros espaços (Rivoli Teatro Municipal Sala de Ensaios, Rivoli Teatro Municipal Foyer 3º Piso, Rivoli Teatro Municipal Átrio, Rivoli Teatro Municipal Cafetaria, Estação do Metro Campo 24 de Agosto, Fnac St. Catarina, Salão Nobre do Teatro Nacional S. João, Café-Concerto da ESMAE, Praça D. João I e Jardins do Museu Serralves).
Participaram 14 companhias de teatro na programação oficial: 8 de Portugal, 4 de Espanha, 1 do Brasil e 1 de Cabo Verde. As actividades paralelas tiveram diversas participações individuais e de 4 companhias, 2 escolas e 2 editores.
A edição de 2006 atingiu também os objectivos com a continuação de conquista de novos públicos. Os índices de ocupação das salas foram francamente bons, com 6 espectáculos com 100% de ocupação e uma média geral de 74%. O total de espectadores do XXIX FITEI foi de 13.752, sem contar com o público dos espectáculos de extensão.
A ligação às escolas artísticas da cidade do Porto, acção que o FITEI pretende reforçar, teve na edição de 2006 a participação de 4 escolas de teatro e música, com apresentação de espectáculos dos seus alunos (Escola Superior Artística do Porto e Conservatório de Música do Porto) ou integração na equipa e acompanhamento do festival (Escola de Música e Artes do Espectáculo e Academia Contemporânea do Espectáculo).
Para alem da presença das companhias, com os seus actores, encenadores e directores artísticos, o FITEI contou com a colaboração de um conjunto artistas e personalidades que, das mais diversas formas, contribuíram para o êxito do festival, como são exemplos: Roberto Lage, autor da Mensagem ao XXIX FITEI, Manuela Martins, autora da escultura original oferecida a todas as companhias, o encenador João Paulo Seara Cardoso que dirigiu a primeira visita guiada à exposição “Cenas Suspensas” e apresentou o livro com o mesmo nome, a dramaturga espanhola Gema Rodrigues que apresentou a edição portuguesa de “Estamos quedando fatal”, a programadora espanhola Ana Sala, o crítico e ensaísta Mário Rojas, de Washington e ainda Júlio Castrunuovo, António Augusto Barros, Carlos Porto e Tito Lívio que acompanharam todo o festival.
A sessão oficial de abertura do XXIX FITEI, contou com a colaboração das actrizes Micaela Cardoso e Diana Couto.

O Festival em números
14 COMPANHIAS PARTICIPANTES (*)
15 ESPECTÁCULOS DIFERENTES
23 REPRESENTAÇÕES
16 ACTIVIDADES PARALELAS
2 ACTIVIDADES EXTRA-PROGRAMA
41 ACÇÕES NO TOTAL

6 SALAS DE ESPECTÁCULOS (**)
10 OUTROS ESPAÇOS (**)
13.752 ESPECTADORES (***)
3 ESPECTÁCULOS EM EXTENSÃO
866 ESPECTADORES NAS EXTENSÕES
14.618 ESPECTADORES NO TOTAL
(*) 14 Companhias de teatro participantes: 8 de Portugal, 4 de Espanha, 1 de Cabo Verde, 1 do Brasil.

(**) 16 Espaços diferentes: 6 salas de espectáculo [ Teatro Nacional S. João, ACE / Teatro do Bolhão, Rivoli – Teatro Municipal / Grande e Pequeno Auditório, TeCA – Teatro Carlos Alberto, Teatro Helena Sá e Costa ] e 8 outros espaços [ Praça D. João I, Jardins do Museu de Serralves, FNAC Santa Catarina, Estação Metro Campo 24 Agosto, Rivoli – Teatro Municipal / Foyer 3º piso / Sala de Ensaios / Átrio / Cafetaria, T. N. S. João - Salão Nobre, Café-Concerto da ESMAE ].

(***) Sem considerar os espectáculos de extensão.

Companhias participantes
TEATRO MERIDIONAL [ Lisboa – Portugal ]
Espectáculo – WAITING FOR GODOT
Encenação – MIGUEL SEABRA
Apresentação – 26 MAIO / 27 MAIO
Local – TEATRO NACIONAL S. JOÃO

Espectáculo – CONTOS EM VIAGEM
Concepção – NATÁLIA LUÍZA
Apresentação – 29 MAIO
Local – RIVOLI – TEATRO MUNICIPAL / PEQUENO AUDITÓRIO

TEATRO DA GARAGEM [ Lisboa – Portugal ]
Espectáculo – ÁCIDO
Encenação – CARLOS J. PESSOA
Apresentação – 27 MAIO / 28 MAIO
Local – ACE / TEATRO DO BOLHÃO


LA MACHINA TEATRO [ Santander – Espanha ]
Espectáculo – LA SUCURSAL
Encenação – FRANCISCO VALCARCE
Apresentação – 30 MAIO
Local – RIVOLI – TEATRO MUNICIPAL / GRANDE AUDITÓRIO

COMPANHIA TEATRO DE SINTRA / JOÃO GARCIA MIGUEL [ Sintra/Lisboa – Portugal ]Espectáculo – A ENTREGA
Encenação – JOÃO GARCIA MIGUEL
Apresentação – 31 MAIO
Local – ACE / TEATRO DO BOLHÃO

VISÕES ÚTEIS [ Porto – Portugal ]
Espectáculo – MAL VISTOS
Direcção – ANA VITORINO, CARLOS COSTA
Apresentação – 31 MAIO / 1 JUNHO
Local – TeCA / TEATRO CARLOS ALBERTO

GRUPO DE TEATRO DO CENTRO CULTURAL PORTUGUÊS / ICA [ Mindelo – Cabo Verde ]
Espectáculo – MAR ALTO
Encenação – JOÃO BRANCO
Apresentação – 1 JUNHO / 2 JUNHO
Local – RIVOLI – TEATRO MUNICIPAL / PEQUENO AUDITÓRIO

AMORES GRUP DE PERCUSSIÒ [ Valência – Espanha ]
Espectáculo – DRUMCUTS
Direcção Artística – SALVA BOLTA
Apresentação – 30 MAIO
Local – RIVOLI – TEATRO MUNICIPAL / GRANDE AUDITÓRIO

TEATRO DO MAR [ Sines – Portugal ]
Espectáculo – DAIMONION
Encenação – JULIETA SANTOS
Apresentação – 2 JUNHO
Local – PRAÇA D. JOÃO I

VISITANTS [ Vila-Real – Espanha ]
Espectáculo – VIAJEROS
Encenação – TOMÁS IBANEZ
Apresentação – 3 JUNHO / 4 JUNHO
Local – FUNDAÇÃO SERRALVES

CENTRO DRAMÁTICO DE VIANA / TEATRO NOROESTE [ Viana – Portugal ]
Espectáculo – ZOO STORY
Encenação – JOÃO PAULO COSTA
Apresentação – 3 JUNHO
Local – TEATRO HELENA SÁ E COSTA

PATRÍCIA PORTELA [ Lisboa – Portugal ]
Espectáculo – WASTEBAND
Apresentação – 5 JUNHO / 6 JUNHO
Local – RIVOLI – TEATRO MUNICIPAL / SALA DE ENSAIOS

PERIPÉCIA TEATRO [ Macedo de Cavaleiros – Portugal ]
Espectáculo – IBÉRIA – A LOUCA HISTÓRIA DE UMA PENÍNSULA
Direcção – JOÃO CARLOS GARCIA
Apresentação – 5 JUNHO
Local – ACE / TEATRO DO BOLHÃO

COMEDIANTS [ Barcelona – Espanha ]
Espectáculo – LAS MIL E UNA NOCHES
Encenação – JOAN FONT
Apresentação – 6 JUNHO
Local – RIVOLI – TEATRO MUNICIPAL / GRANDE AUDITÓRIO

FOLIAS [ São Paulo – Brasil ]
Espectáculo – OTELO
Encenação – MARCO ANTÓNIO RODRIGUES
Apresentação – 7 JUNHO / 8 JUNHO / 9 JUNHO
Local – TeCA / TEATRO CARLOS ALBERTO

Programa paralelo
PARTICIPAÇÃO NA EDIÇÃO E LANÇAMENTO DO LIVRO CENAS SUSPENSAS
Autor – JOÃO PAULO SEARA CARDOSO / TEATRO DE MARIONETAS DO PORTO
Edição – CAMPO DAS LETRAS
Data – 27 MAIO
Local – FNAC SANTA CATARINA

EXPOSIÇÃO CENAS SUSPENSAS
Autor – TEATRO DE MARIONETAS DO PORTO
Data – 27 MAIO A 9 JUNHO
Local – ESTAÇÃO DE METRO CAMPO 24 AGOSTO

DOCUMETÁRIO PARA ALÉM DO TEJO / CONVERSA COM MIGUEL SEABRA
Autor –PATRÍCIA POÇÃO / TEATRO MERIDIONAL / MIGUEL SEABRA
Data – 28 MAIO
Local – RIVOLI – TEATRO MUNICIPAL / PEQUENO AUDITÓRIO

SOB O SIGNO DE LORCA - LEITURAS
Autor – TEATRO BRUTO OFFICINA
Data – 29 MAIO
Local – RIVOLI – TEATRO MUNICIPAL / CAFETARIA

SPEAK LOW – PIANO E VOZ
Autor – MARIA DE DEUS
Data – 29 MAIO
Local – RIVOLI – TEATRO MUNICIPAL / CAFETARIA

MESCLA
Autor – ESAP
Data – 30 MAIO
Local – RIVOLI – TEATRO MUNICIPAL / FOYER 3º PISO

LANÇAMENTO DO LIVRO NOS ESTAMOS QUEDANDO FATAL COM PRESENÇA DA AUTORA
Autor – GEMMA RODRIGUEZ
Edição – QUASI
Data – 31 MAIO
Local – TeCA / TEATRO CARLOS ALBERTO

PANTOMIMA DE ARLEQUINO E COLOMBINA
Autor – Alunos da ESAP
Data – 2 JUNHO
Local – RIVOLI – TEATRO MUNICIPAL / ÁTRIO

DOCUMENTÁRIO ANTES DE A VIDA COMEÇAR / HOMENAGEM A ISABEL DE CASTRO
COM PREENÇA DO REALIZADOR
Realização – ANTÓNIO CORREIA
Data – 4 JUNHO
Local – RIVOLI – TEATRO MUNICIPAL / PEQUENO AUDITÓRIO

SOB O SIGNO DE LORCA – Leitura Bodas de Sangue
Autor – TEATRO BRUTO OFFICINA
Data – 5 JUNHO
Local – RIVOLI – TEATRO MUNICIPAL / PEQUENO AUDITÓRIO

QUARTETO DE SAXOFONES, MOMENTI VOCALI E ESTÚDIO DE ÓPERA
Autor – CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO
Data – 7 JUNHO
Local – RIVOLI – TEATRO MUNICIPAL / PEQUENO AUDITÓRIO

O CÍRCULO DA JUSTIÇA
Autor – Alunos da ESAP
Data – 8 JUNHO
Local – RIVOLI – TEATRO MUNICIPAL / PEQUENO AUDITÓRIO

SLIDE SHOW O XXVIII FITEI
Autor – Pedro Sottomayor e Pedro Rola
Local – RIVOLI – TEATRO MUNICIPAL / ATRIO e FOYER 3º PISO

PEÇA ESCULTÓRICA
Autor – MANUELA MARTINS
Escultura original oferecida a todas as companhias participantes

FEIRA DE LIVROS DE TEATRO COM GRANDES DESCONTOS
Autor – Diversos editores

Extra-programa
QUINTETO BARBACUTE
Autor – PROGRAMAÇÃO MEIA NOITE S. JOÃO
Data – 26 MAIO
Local – TEATRO NACIONAL S. JOÃO / SALÃO NOBRE

SINGLE SINGERS BAR
Autor – FOLIAS D’ ARTE
Data – 10 JUNHO
Local – CAFÉ-CONCERTO DA ESMAE

Extensões do Festival
Foram realizados 4 espectáculos fora da cidade do Porto, em Aveiro, Viana do Castelo e Lisboa, como extensão do XXIX FITEI, num total de 6 representações:

LA MACHINA TEATRO [ Santander – Espanha ]
Espectáculo – LA SUCURSAL
Encenação – FRANCISCO VALCARCE
Apresentação – 2 JUNHO
Local – VIANA DO CASTELO / FESTEIXO

VISÕES ÚTEIS [ Porto – Portugal ]
Espectáculo – MAL VISTOS
Direcção – ANA VITORINO, CARLOS COSTA
Apresentação – 4 JUNHO
Local – TEATRO AVEIRENSE

COMEDIANTS [ Barcelona – Espanha ]
Espectáculo – LAS MIL E UNA NOCHES
Encenação – JOAN FONT
Apresentação – 8 JUNHO
Local – TEATRO AVEIRENSE

FOLIAS [ São Paulo – Brasil ]
Espectáculo – OTELO
Encenação – MARCO ANTÓNIO RODRIGUES
Apresentação – 16 JUNHO / 17 JUNHO / 18 JUNHO
Local – TEATRO NACIONAL D. MARIA II

Exposição
A exposição Cenas Suspensas que decorreu na Estação do Metro do Campo 24 de Agosto entre os dias 25.05.2006 e 11.06.2006 foi visitada por 810 pessoas, número que inclui 20 visitas de estudo de escolas do ensino básico, preparatório, secundário e superior artístico.

Parcerias
O FITEI 2006 contou com diversas parcerias:

Fundação Serralves que teve como parceiro o FITEI na programação da 3ª edição da Serralves em Festa.
A Culturporto que cedeu os espaços públicos do Rivoli Teatro Municipal e toda a sua equipa técnica, com a bilheteira a reverter para a organização do festival.
Teatro Nacional D. Maria II que comprou três espectáculos da companhia brasileira que o FITEI trouxe ao festival.
Teatro Aveirense que programou em extensão dois espectáculos do FITEI.
A editora Campo das Letras que editou o livro Cenas Suspensas.
O Festeixo que apresentou um dos seus espectáculos no Fitei, que por sua vez apresentou um espectáculo seu em Viana do Castelo.

Patrocínios e apoios
A estrutura do FITEI é financiada pelo Ministério da Cultura através do Instituto das Artes.
Como outro apoio institucional, o festival conta com a verba de vinte e cinco mil euros por parte da Câmara Municipal do Porto.
O FITEI contou ainda com os apoios especiais de:
Fundação Engenheiro António de Almeida, que adquiriu 75 livros Cenas Suspensas e apoiou financeiramente o festival.
Embaixada de Espanha que pagou despesas hoteleiras de algumas companhias espanholas.
Teatro Nacional S. João, que cedeu as instalações do Teatro S. João e do Teatro Carlos Alberto, para a realização de espectáculos e algumas actividades paralelas.
Academia Contemporânea do Espectáculo / Teatro do Bolhão que cedeu instalações para realização de espectáculos.
Teatro Helena Sá e Costa / Fundação Instituto Politécnico do Porto que cedeu o seu teatro para a realização de espectáculos.
Metro do Porto que cedeu as instalações da Estação Campo 24 de Agosto para a realização da exposição e proporcionou ampla divulgação do festival.
CACE Cultural do Porto / IEFP que cedeu instalações para a recuperação das cenografias e das marionetas para a exposição.
O FITEI contou ainda com um largo apoio em serviços de diversas empresas: UNICER, DOUBLET, RAMOS PINTO, FIAT/MUNDAUTO, FNAC, VALPI, GRAFISLAB, D. TONHO, HOTEL DOURO, MURGANHEIRA, CINEMAS AMC, STCP e CP.
No apoio à divulgação é de destacar a emissão gratuita de um spot de 15 segundos pela SIC, RTP 1, RTP 2, RTPN e Invicta TV.
Na rádio, contou com apoios através de descontos ou emissões gratuitas em Nova Era, Rádio Lidador, Rádio Universitária do Minho, Rádio Universidade de Coimbra e Rádio Clube de Penafiel.
Na imprensa escrita, os apoios, também na forma de desconto ou publicação gratuita foram em: O Primeiro de Janeiro, Jornal de Notícias, Público, Voz Portucalense, Jornal de Matosinhos, Matosinhos Hoje e Primeira Mão.

Comunicação social
O XXIX FITEI teve uma ampla divulgação e cobertura jornalística nos mais variados órgãos de comunicação social:
Televisão – Noticiários da RTP 1, SIC, RTPN, Euronews, Invicta TV, Zoom, etc.
Rádios – Antena 1, Rádio Clube Português, Rádio Renascença, TSF, etc.
Jornais – Público, Jornal de Notícias, Primeiro de Janeiro, Expresso, Visão, 24 Horas, Diário de Notícias, Jornal Metro, Jornal Universitário, etc.
O festival apenas organizou um clipping de imprensa escrita, dado que não contratou qualquer empresa para a feitura de um documento mais completo.
A crítica especializada na imprensa de referência – Público de 29 de Dezembro e Expresso de 30 de Dezembro –, considerou nos melhores espectáculo de teatro em Portugal no ano de 2006: “Waiting for Godot” (espectáculo de abertura do XXIX FITEI) e “Otelo” (espectáculo de encerramento do XXIX FITEI).